Autoestima: 6 dicas para manter uma autoestima saudável

6 dicas para manter uma autoestima saudável

A sociedade atual discute bastante sobre autoestima e sua importância, muitas vezes trazendo uma definição um pouco confusa sobre o que seria. Mas afinal, o que é autoestima?

A autoestima é a imagem e a opinião que cada um tem sobre si, refletindo nos valores e crenças que se constrói ao longo da vida, e é baseado nas experiências vivenciadas com as pessoas e com o mundo, desde os primeiros anos de vida. Ainda na infância, crenças, percepções e valores são estimulados pelo tipo de ambiente que estamos inseridos.

Uma pessoa com autoestima baixa é uma pessoa insegura, que não confia em suas habilidades em sua capacidade, precisando na grande maioria das vezes que outras pessoas tomem decisões e façam escolhas por ela, pois a autoestima baixa pode fazer com que a pessoa se torne extremamente dependente do outro.

Além da insegurança, a baixa autoestima pode fazer com que a pessoa se torne muito exigente consigo mesma, tendo dificuldades em aceitar ou acreditar nos elogios que recebe.

Ter uma boa autoestima é primordial para toda pessoa que tem sonhos, planos, busca melhor qualidade de vida, melhores relacionamentos. A autoestima afeta todas as áreas da vida, interferindo diretamente na forma como a pessoa se comporta com o outro e consigo.

Como desenvolver uma boa autoestima

O desenvolvimento da autoestima é um processo contínuo, e inicia desde que nascemos, nas relações que estabelecemos com a família e com a sociedade.  Quando crescemos em um ambiente em que nossos medos e nossos limites são validados e respeitados, aprendemos a forma como devemos nos comportar em relação a nós mesmos e aos outros.

Quando, ainda na infância, o relacionamento com os pais se desenvolve com invalidação dos sentimentos, sendo subjugado, aprendendo a lidar com as situações de uma forma agressiva e abusiva, podemos nos tornar inseguras com quem somos, o que pensamos e fazemos reflete diretamente em como nos vemos.

Para desenvolver uma boa autoestima, o primeiro passo é o autoconhecimento. Conhecer suas vontades, seus desejos, seus limites, se valorizar, buscar formas assertivas de mudar aquilo que não lhe agrada, baseado em sua própria opinião, e não no que o outro acha que você deveria fazer.

Uma pessoa com autoestima elevada é aquela que olha para si, abraça suas qualidades e defeitos e se ama por ser exatamente quem é, isso só é possível quando você se dedica a passar um tempo com você. A busca pela aceitação e autoconhecimento, seria um processo para uma boa autoestima.

Dicas de como manter uma boa autoestima

A autoestima deve ser estimulada sempre que possível. No dia a dia, algumas dicas podem ajudar a manter a sua autoestima elevada:

  1. Pensar positivamente sobre si: Pessoas com autoestima elevada pensam positivamente sobre si mesmo. O hábito do pensamento positivo, em geral, contribui para ter uma atitude e autoimagem positiva;
  2. Fazer atividades que elevem sua autoestima: Essas são atividades que lhe causam prazer, como: ler livros, atividade física, meditação, lazer e cuidado com a aparência por exemplo;
  3. Conhecer e respeitar seus limites: É saber dizer não sempre que algo vai lhe causar algum tipo de prejuízo, respeitando suas vontades e seus limites. Você não precisa ceder sempre ao que afeta sua saúde física e emocional;
  4. Buscar qualidade de vida e bem-estar: É cuidar das suas necessidades básicas, se alimentar bem, ter um boa noite de sono e ter um bom ciclo de relacionamentos, por exemplo;
  5. Se afaste de pessoas tóxicas: Quando se tem autoconhecimento, compressão e respeito por seus limites, é possível reconhecer as pessoas que afetam negativamente a sua vida, decidindo que não vale a pena prejudicar a saúde mental e física por esse tipo de pessoas;
  6. Perdoe a si mesmo: Você não irá acertar sempre, e buscar a perfeição pode trazer prejuízos enormes. Pessoas que possuem uma autoestima saudável sabem aceitar seus erros, buscando formas de melhorar e seguir em frente, acolhendo suas dores no processo.

Como a terapia pode ajudar pacientes com baixa autoestima

A baixa autoestima não é um transtorno mental, mas influencia no desenvolvimento de muitos transtornos, como o transtorno de ansiedade, transtorno depressivo e a síndrome do pânico.

Aprender a combater a baixa autoestima nem sempre é fácil. A insegurança, medo e as crenças negativas sobre si mesmo podem ser tão profundas, que trazer para consciência essas questões pode ser doloroso e difícil, mas a terapia pode ajudar nesse processo.

Através de técnicas e ferramentas da terapia, o psicólogo auxiliará na identificação de crenças, pensamentos e comportamentos negativos que causam algum tipo de prejuízo, conduzindo o paciente para modificação, crescimento e evolução pessoal.

Além dos benefícios citados acima, a terapia promove o autoconhecimento, que é requisito primordial para que a autoestima se mantenha elevada, tornando o paciente mais independente do amor e da aceitação dos outros, pois terá desenvolvido individuação.

Para entrar em contato utilize o formulário abaixo

Telefone

(11) 4235-6373

WhatsApp

(11) 98129-0320

6 + 9 =

atendimento
KLAR
Olá, como posso te ajudar?
Caso queira saber mais sobre o atendimento ou agendar uma consulta.
Escreva abaixo.